sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Reunião entre hospitais e Unimed decide atendimento

Os hospitais que suspenderam atendimento à Unimed voltaram serviço por determinação da Justiça
As diretorias dos hospitais Promater, São Lucas e Hospital dos Coração devem se reunir nesta sexta-feira (3) com a Unimed para negociação quanto aos valores repassados pelo plano de saúde nos atendimentos. De acordo com Elmano Marques, diretor do Hospital do Coração, os hospitais vão cumprir a determinação da justiça de manter os atendimentos.
Enquanto as negociações acontecem, os usuários do plano de saúde estão recebendo atendimento normal nos hospitais. Na manhã de ontem  o clima era de tranquilidade e os usuários não tiveram problemas para receber os atendimentos.


Fonte:Tribuna do Norte

No Hospital do Coração, onde há um atendimento mensal de aproximadamente 1.500 pessoas, o que corresponde a metade do atendimento de pronto-socorro que é prestado aos usuários de todos os outros planos de saúde, os usuários da Unimed tiveram acesso normal aos serviços da unidade hospitalar.

Venda de chips de TIM, Oi e Claro está liberada a partir desta sexta

A venda de chips de celular das operadoras de telefonia Oi, TIM e Claro está liberada a partir desta sexta-feira (3), segundo autorizou a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). As operadoras estavam impedidas de vender novas linhas desde o dia 23 de julho nos estados onde tinham mais reclamações.

A punição às três empresas foi anunciada no dia 18 de julho pelo presidente da Anatel, João Rezende. O motivo foi o grande número de reclamações feitas por clientes à agência entre janeiro de 2011 e junho deste ano.
A liberação ocorreu depois que as operadoras apresentaram à agência planos de investimentos para solucionar os problemas na rede de telefonia móvel. De acordo com o presidente da Anatel, João Rezende, os planos apresentados somam R$ 20 bilhões nos próximos dois anos.
Os documentos devem ficar disponíveis no site da Anatel para que a população possa acompanhar o cumprimento das metas pelas operadoras.
Rezende disse que as melhorias do serviço não vão acontecer “da noite para o dia”, mas a expectativa da Anatel é que os clientes já possam sentir os avanços nesses serviços dentro de quatro a seis meses. “Vamos fazer um acompanhamento bastante fino para não permitir que a situação volte a ficar como antes da medida cautelar [que suspendeu a venda de chips]”, disse o presidente da Anatel.