sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Polícia indicia nove acusados de sequestrar Popó Porcino

 (Degepol)
Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira na sede da Delegacia Geral de Polícia Civil, a delegada especializada em combate ao crime organizado, Sheila Freitas apresentou detalhes da prisão de mais uma integrante da quadrilha que seqüestrou o empresário Popó Porcino durante 37 dias. Orlandina Torres Carneiro, 33, foi presa em Fortaleza por uma equipe da Deicor enviada ao Ceará. A acusada que é quarta suplente de vereadora foi detida na ocasião em que participaria de um velório.
A delegada ainda informou que foram indiciados nove membros da quadrilha são eles: Bruna de Pinho Landim, José Orlando Evangelista Silva, Paulo Victor Lopes Monteiro, Francisco Genério Bruno da Silva, morto em confronto com a polícia, Luís Eduardo Lima Magalhães Filho, Anderson de Souza Nascimento, Orlandina Torres Carneiro além de Leonora Gomes de Sena e Antônia Berenice Damasceno Lima que seguem foragidas.

A delegada Sheila Freitas ainda divulgou que a polícia está investigando ramificações da quadrilha no Ceará e Pernambuco e outras prisões podem ocorrer nos próximos dias.

Sobre a prisão de Orlandina, a delegada explicou que através de ligação anônima a polícia começou a investiga-la, ela era apontada como companheira de Paulo Victor tendo inclusive alugado as casas que serviram de cativeiro de Popó Porcino. Orlandina teria retornado para o Ceará por não concordar com as torturas feitas em Popó.

Em abril de 2010, Orlandina e Paulo Victor haviam sido abordados na BR-304 e , após uma revista, os policiais encontraram 100 cartões bancários em nome de várias pessoas, seis celulares, um leitor de cartões, conhecido como "chupa cabra", e um notebook com programas sofisticados para fraudes, além de R$ 8.161,00 em dinheiro. O material estava escondido em várias partes do carro, o que levou a uma vistoria bem detalhada para descobrir todos os produtos da fraude. Segundo a RPF, Orlandina Torres já teria sido presa várias vezes, acusada de furto, estelionato e formação de quadrilha, tanto no Ceará, como também em Taguatinga, no Distrito Federal.

Orlandina e Paulo Victor ficaram presos no Rio Grande do Norte até 27 de janeiro de 2011, mas apesar de terem alvará de soltura expedido, respondem a processo por furto qualificado, estelionato e porte ilegal de armas. A acusada é suplente de vereador no município de Independência, no interior do Ceará.



Fonte: Dn Oline

Nenhum comentário:

Postar um comentário