terça-feira, 17 de julho de 2012

Ponte: MP quer proteção em pilares

Ponte Newton Navarro foi inaugurada em 2007 sem a devida proteção
O Ministério Público do Estado (MP/RN) deu prazo de quinze dias para que o Governo do Estado, Capitania dos Portos e a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern) apresentem informações a respeito da Ponte Newton Navarro (Forte-Redinha). Através de um Inquérito Civil Público, a Promotoria de Defesa do Meio Ambiente quer apurar possíveis riscos de danos ambientais e ao patrimônio público causados pela falta de manutenção e equipamentos de proteção nos pilares da ponte. O MP/RN requisita ainda, que o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado (Crea/RN) realize uma vistoria no local.
Os encaminhamentos assinados pelo promotor João Batista Machado foram discutidos em audiência realizada na primeira semana deste mês que contou com representantes dos órgãos citados. Segundo o promotor, a informação de que a ponte estaria sem a proteção exigida pela Capitania dos Portos gerou preocupação. "Soubemos, através das redes sociais, que a ponte corria risco devido a inexistência de equipamentos de segurança. Chamamos os órgãos competentes para discutir a questão e resolvemos solicitar uma série de informações", disse. O alerta sobre possíveis riscos à navegação no rio Potengi foi dado pela Capitania dos Portos.

De acordo com o órgão, é necessário a instalação de equipamentos de segurança nos pilares principais da ponte. Três ofícios já foram entregues à secretaria de Estado da Infraestrutura (SIN) mas, por falta de recursos, a obra orçada em R$ 32 milhões não foi executada. O projeto vai assegurar a proteção da ponte e de embarcações que cruzam o rio Potengi e é fundamental para a expansão das atividades no Porto de Natal.

Fonte: Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário