terça-feira, 11 de outubro de 2011

BNDES abre 270 novas vagas

Todos os cargos oferecidos são para a sede do BNDES, que fica na capital do Rio de Janeiro
Os interessados em participar do concurso que tem o objetivo de criar 270 vagas de cadastro reserva no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) têm até o próximo domingo (16) para se inscrever. O certame, que é destinado a candidatos de nível superior e nível médio, oferece salários que variam entre R$ 2 mil e R$ 8 mil. As vagas são para o Rio de Janeiro.
De acordo com o edital, os cargos de nível superior são para profissionais graduados em administração, análise de sistemas - desenvolvimento, contabilidade, comunicação social e economia. O salário é de R$ 8.423,86 para uma jornada de trabalho de 35 horas semanais. Já para os candidatos de nível intermediário, o cargo oferecido é o de técnico de arquivo, cuja remuneração é de R$ 2.683 para uma jornada de 35 horas por semana.

As inscrições podem ser feitas através do site da organizadora do concurso, www.cesgrandrio.org.br, mediante pagamento de taxas de R$ 64, para nível superior, e R$ 35 para nível médio. As provas serão realizadas no dia 27 de novembro, em Belém, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

Os exames para o cargo de nível superior serão realizados em dois turnos, sendo as provas objetivas aplicadas pela manhã e as discursivas no período da tarde. Já os exames para os cargos de nível médio serão divididos entre uma prova objetiva e uma redação, a serem realizados em um único período. Conforme o edital, serão classificados o quantitativo máximo de 70 profissionais para administração; 40 para análise de sistemas - desenvolvimento; 70 para contabilidade; 10 para comunicação social; 50 para economia e 30 para técnico de arquivo.

FONTE: TRIBUNA DO NORTE

TJ-RJ decreta prisão preventiva de 11 PMs suspeitos da morte de juíza

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro decretou, nesta segunda-feira (10), a prisão preventiva dos 11 PMs suspeitos de envolvimento no assassinato da juíza Patrícia Acioli. A decisão foi do juiz Peterson Barroso Simão, da 3ª Vara Criminal de Niterói, "a fim de garantir a ordem pública, a conveniência da instrução processual e assegurar a aplicação da lei penal". As informações são do site do TJ-RJ.
De acordo com o TJ-RJ, os 11 serão indiciados por homicídio triplamente qualificado, sendo que dez deles também responderão por formação de quadrilha armada.
A juíza foi morta com 21 tiros na noite do dia 11 de agosto, quando chegava à sua residência, em Piratininga, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio.
Os 11 policiais foram denunciados nesta segunda-feira pelo Ministério Público do Rio. Na denúncia, o Ministério Público pediu ainda que o tenente-coronel Claudio Luiz Silva de Oliveira, ex-comandante do 7º Batalhão da Polícia Militar (São Gonçalo), apontado como mandante do crime, e o tenente Daniel Santos Benitez Lopez, acusado de executá-lo, sejam transferidos para um presídio federal, fora do Rio de Janeiro, em Regime Disciplinar Diferenciado, com restrição de comunicação e isolamento. O juiz, no entanto, decidiu mantê-los, provisoriamente, nos lugares onde estão até a manifestação dos advogados dos réus sobre o pedido do MP.

FONTE:G1