quarta-feira, 20 de abril de 2011

Mega-Sena pode pagar R$ 70 milhões nesta quarta

Mega-Sena sorteia R$ 5 milhões neste sábado (Foto: Nathália Duarte/G1)



A Mega-Sena pode pagar, nesta quarta-feira (20), o maior prêmio de 2011, no valor de R$ 70 milhões, para quem acertar as dezenas da faixa principal da loteria. O sorteio do concurso 1.276 acontece a partir das 20h (horário de Brasília).
Os volantes devem ser registrados até as 19h (horário de Brasília), em qualquer casa lotérica do país. O preço da aposta simples, com seis dezenas, é de R$ 2.
Se for sorteada, a bolada, de acordo com a Caixa Econômica Federal, será o sexto maior prêmio da história da Mega-Sena, que já pagou R$ 194,4 milhões na Mega da Virada de 2010. O prêmio de R$ 70 milhões pode render quase R$ 420 mil por mês, se for aplicado na poupança.
Loterias no feriado
Devido aos feriados desta semana, as loterias da Caixa terão algumas alterações. Não haverá sorteios na quinta-feira (21) e sexta-feira (22). A Lotofácil, que seria sorteada na quinta, terá seu sorteio antecipado para esta quarta-feira. Já Dupla-Sena, que seria sorteada na sexta, terá seu sorteio realizado no sábado (23). Os sorteios da Mega-Sena não sofrerão alterações.

Fonte: G1

Ministério Público recomenda a anulação de mais um concurso de prefeitura no interior


O Ministério Público do Rio Grande do Norte recomendou a anulação do concurso público para a Prefeitura de Jardim de Piranhas, interior do estado. A informação foi publicada na edição desta quarta-feira (20) do Diário Oficial do Estado e recomenda a realização de um novo concurso para o preenchimento dos cargos disponibilizados. Os valores cobrados aos candidatos para a taxa de inscrição, o qual foram recolhidos pela empresa organizadora deveram ser devolvidos a todos os candidatos.
O MPRN recomenda ainda que sejam aplicadas penalidades junto a empresa organizadora do concurso, a Multsai. Caso a prefeitura de Jardim de Piranhas não tome as devidas providências no prazo máximo de dez dias, medidas judiciais serão tomadas.
Além disso, a Promotoria de Justiça alegou o cancelamento da função de vários servidores contratados ilegalmente que foram aprovados para os cargos que exerciam na cidade à época da realização das provas.

Fonte : Dn Oline