sábado, 30 de julho de 2011

HWG: sobrecarga de trabalho

Ontem, 62 pacientes estavam internados nos corredores do HWG


Uma média de 16 pacientes é quanto um atendente de enfermagem tem para dar conta, todos os dias, no superlotado  Hospital Walfredo Gurgel. "Isso dá 128 movimentos durante a verificação de sinais vitais dos pacientes que ficam aos cuidados da gente ", diz a técnica de enfermagem Ângela Ramos.
Esse número de movimento aumenta muito mais, segundo ela, quando se trata de verificar os sinais vitais de pacientes que aguardam uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), porque ai a verificação "ocorre de duas em duas horas" e não duas vezes por dia em reação a pacientes de menor gravidade, que precisam de observação quanto a pressão arterial, temperatura, frequencia cardiaca (pulso) e frequencia respiratória.
Ângela Ramos diz que dos 1.870 profissionais do HWG, apenas 20 são enfermeiros e 120 são técnicos de enfermagem, número insuficiente para atender a demanda do hospital, que tinha 67 pacientes instalados nos corredores anteontem. Por conta da sobrecarga de trabalho, afirma ela, muitos profissionais estão sendo acometidos de doenças profissionais, como pressão arterial e LER.


FONTE: TRIBUNA DO NORTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário