quarta-feira, 8 de junho de 2011

Deputados vão intermediar reivindicações dos servidores em greve

Uma comissão de deputados estaduais será formada com o objetivo de intermediar as negociações entre as categorias estaduais em greve e o Governo. A iniciativa foi anunciada durante reunião com representantes de sindicatos na tarde dessa terça-feira, 07, pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Motta (PMN).

Além do presidente da AL, participaram do encontro o líder da bancada do governo, deputado Getúlio Rêgo (DEM), os deputados Fernando Mineiro (PT), Fábio Dantas (PHS) e Tomba Farias (PSB) e representantes dos Sindicatos dos Médicos, dos Trabalhadores em Educação, da Saúde do Estado, dos Servidores da Administração Indireta, e da Universidade Estadual (UERN), entre outros.

Durante a reunião os sindicalistas fizeram um relato mostrando a situação das categorias em greve, que até agora não têm nenhuma resposta efetiva do governo. “Estamos em greve desde 26 de maio,  mas até hoje a administração só  tem nos ignorado. O governo tem conhecimento da nossa pauta, mas não tem boa vontade”, disse o presidente do DCE da UERN, Petrônio Andrade.

Getúlio Rêgo afirmou que o Governo tem interesse em dialogar e conceder os benefícios, mas ainda não tem saúde financeira para implantar os Planos de Cargos e Salários. O líder do governo disse ainda que as reivindicações são absolutamente consistentes, mas ressaltou que é preciso bom senso.“O Estado está numa situação difícil, não tem condições de implantar mais despesa. O que adianta dar o benefício e no final do mês o servidor não receber? Vai ser uma crise muito maior”, explicou.

O parlamentar afirmou que o Governo nunca se fechou para o diálogo e disse que dentro do prazo possível espera que os benefícios previstos em lei sejam concedidos. Já o deputado Fernando Mineiro disse que o Governo radicalizou com os servidores e que espera que a Assembleia assuma o papel de intermediadora.

O presidente do Sinai, Santino Arruda, disse que acha difícil que os servidores voltem ao trabalho sem que haja um entendimento. Ele afirmou que as categorias já tiveram muita paciência e que não obtiveram nenhum retorno. “Viemos na expectativa de encontrar apoio dos parlamentares e tivemos. Eles vão entrar em contato com o Governo e acho que amanhã mesmo já nos darão uma resposta”, pontuou Santino.

O presidente do Legislativo reafirmou apoio às classes e disse que a reivindicações são justas e que a Casa vai tentar fazer um entendimento no que for possível.
 
FONTE: DN OLINE

Nenhum comentário:

Postar um comentário