terça-feira, 19 de abril de 2011

Sumiço de R$ 8 motivou briga que acabou em morte em casamento


A briga que terminou com a morte da aposentada Rosa Maria Leite Alves, de 56 anos, começou devido ao desaparecimento de R$ 8 do carro da família no estacionamento do bufê, onde ela, o marido e o filho participavam da festa de casamento de uma sobrinha, em Santo André, no ABC paulista. No bufê ocorriam duas festas. Uma, da sobrinha de Rosa. Outra, do casamento de Luiz Fernando Cerqueira, um vendedor de 29 anos.
O estacionamento do bufê era compartilhado por convidados das duas festas, realizadas em salões diferentes. O filho de Rosa, Leonardo Alves, de 28 anos, contou que ao deixar a festa da prima com a família percebeu que o dinheiro, que estava no carro, havia sumido. Ele diz que saiu do carro e ia reclamar com o gerente do estacionamento quando foi abordado por três homens.
Um deles teria perguntado aonde ele ia, e Leonardo teria dito que iria reclamar do furto com o gerente do estacionamento. Neste momento, um dos homens teria impedido.
- Ele disse: "Não você não vai. Está falando que a gente é bandido?" - conta Rogério.
Rogério afirma que, quando percebeu que haveria confusão, tentou entrar no carro, mas foi puxado e agredido inicialmente com uma cabeçada. Em seguida, passou a apanhar com socos e pontapés.
O pai e a mãe dele, que estavam no carro, desceram para impedir a briga, e acabaram também agredidos. Um dos homens entrou no carro de Rogério, deu marcha a ré e atropelou Rosa, esmagando-a contra outro carro. Em seguida, com Rosa já caída, teria dado um pontapé. Rosa chegou a ser socorrida, mas não resistiu e morreu.
O atropelador foi identificado por testemunhas como sendo o próprio noivo da outra festa. Logo depois da briga, ele fugiu num Mercedes Benz preto, junto com mais duas pessoas.
Luiz Fernando Cerqueira foi preso em flagrante na casa dele, dormindo. Segundo o boletim de ocorrência registrado na Secretaria de Segurança Pública, inicialmente Cerqueira disse que havia bebido muito e que só se lembrava de ter se envolvido em uma briga na porta do bufê. Em seguida, falou com um advogado e mudou seu depoimento, dizendo que não participou da briga. Tentou ainda dizer que o culpado foi o cunhado dele.
No lugar de seguir para a lua de mel, Cerqueira foi preso e indiciado por homicídio qualificado, por motivo fútil, e lesão corporal dolosa consumada contra três pessoas. Ele foi submetido a exame de corpo de delito e será encaminhado a um presídio da região.
De acordo com a Secretaria, a polícia vai averiguar os outros dois ocupantes do Mercedes, que fugiram do local da festa junto com Cerqueira.
Rosa, que era auxiliar de enfermagem, havia se aposentado e fazia planos de se mudar com o marido para um sítio no interior de São Paulo.
FINTE Agência O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário